O GLOBO - Informática Etc. - Carlos Alberto Teixeira
Artigo: 140 - Escrito em: 1993-11-16 - Publicado em: 1993-11-22


EcoBBS


BBS no mundo inteiro ligados a redes internacionais e à Internet vem oferecendo novas ferramentas para resolver problemas relacionados ao meio-ambiente. Aqui no Brasil temos o privilégio de contar com o pioneiro BIA BBS (021) 542-9768 e 542-5870, único especializado no assunto. Pelo mundo afora, máquinas mais baratas e rápidas, programas cada vez melhores e mais otimizados e uma rede internacional expandindo-se num ritmo alucinante estão se tornando também uma força poderossísima em apoio ao desenvolvimento sustentado.

Um dos maiores feras no assunto, o pesquisador John E. Young, é um dos cabeças do Worldwatch Institute, e está desenvolvendo um grande estudo sobre o impacto das grandes redes no movimento ecológico. O advento dos computadores tornou possível modelar os efeitos da poluição atmosférica a nível planetário, assim como manter controle das alterações da temperatura global. Biólogos agora utilizam coleiras computadorizadas em animais para estudar as espécies em risco de extinção, monitorando seus movimentos. Microchips controlam avançados moinhos, instalações de energia solar e luminárias de alta eficiência energética. De quebra, milhares de ativistas e organizações ecológicas espalhadas pelo mundo estão utilizando redes de BBS para intercâmbio de notícias e coordenação de suas campanhas.

Mas o próprio mestre Young abre o olho dos colegas BBSzeiros e Interneteiros, apontando o fato de que enlouquecidos com as fantásticas visões do imenso potencial das máquinas, às vezes esquecemo-nos de alguns aspectos negativos da crescente informatização. Segundo seus estudos, só nos EUA os computadores utilizam anualmente tanta energia elétrica quanto o Brasil inteiro no mesmo período. Outro exemplo brabo é que o Silicon Valley, California, EUA, berço da indústria de computação, apresenta atualmente a maior concentração de depósitos de lixo tóxico no país.

Em contrapartida, os benefícios da informatização são muito maiores. Através de modelos matemáticos é possível hoje identificar problemas ambientais muito antes deles se tornarem monstros incontroláveis. Isto é feito através da manipulação de milhares de variáveis, num verdadeiro esmagamento e mastigação de números, tarefa que só os supercomputadores são capazes de desempenhar. Cientistas visionários vem teorizando desde o final do século passado que as emissões de dióxido de carbono poderiam esquentar a atmosfera global. Mas só lá pelos anos 80, quando computadores suficientemente poderosos se tornaram disponíveis, os novos pesquisadores puderam fazer simulações climáticas capazes de projetar confiavelmente as conseqüências do efeito estufa.

O intercâmbio mundial de mensagens, artigos e textos versando sobre meio-ambiente vem aumentando de forma surpreendente. A maior coleção de redes de computadores, nossa querida Internet, que atualmente serve a mais de 11 milhões de usuários, é o grande instrumento para coordenar este imenso esforço. Seu crescimento é tão extraordinário que, segundo estimativas, o tráfego na rede vai dobrar nos próximos cinco meses. Baseada nesta estrutura foi criada a APC (Association for Progressive Communications), que inclui as redes Econet e Peacenet nos EUA, ligando mais de 17.000 ativistas em 94 países. Maiores informações: Worldwatch Institute, 1776 Massachusetts Ave., N.W., Washington, DC 20036 - EUA. Tel: 001 (202) 452-1999; Fax: 296-7365; E-mail: worldwatch@igc.apc.org.

 


[ Voltar ]