O GLOBO - Informática Etc. - Carlos Alberto Teixeira
Artigo: 241 - Escrito em: 1996-04-05 - Publicado em: 1996-04-08


Wavelets - parte 1


Um dos grandes fuçadores da Web, o Sr. Jorge Peres Galante <jgalante@embratel.net.br>, me deu uma dica que, se eu não passasse logo para vocês, seria maldade. Se a leitora é do tipo afoita e não agüenta o suspense, então largue já este jornal e aponte seu browser para www.summus.com, mas prometa que vai voltar para ler o resto da matéria.

O motivo do alvoroço é o estupendo formato de imagens WI (Wavelet Image), capaz de coisas do arco da velha. Você pode babar a blusinha com um plug-in do Netscape 2.0 feito pela empresa Summus. Mas não é um daqueles inúmeros plug-ins capengas que aparecem a toda hora por aí, travando sua máquina, prendendo seu cursor e gerando aquelas malditas GPFs no seu Windows. É coisa fina, bem testada e sacramentada. Na hora da instalação da versão para Windows 3.1X ele pode reclamar da ausência de um tal arquivinho CTL3D.DLL, mas que parece não fazer lá muita falta não. Porém, caso a leitora seja daquelas chatinhas, que não pode ver nenhum arquivo faltando senão tem um chilique, então vá logo em ftp://ftp.ksc.nasa.gov/pub/winvn/win3/wv16_99_07.zip, expanda o zip, renomeie o arquivo CTL3DV2.DLL para CTL3D.DLL. Se quiser ainda mais moleza, aponte para a página do Jorge em http://www.rgnet.com/ctl/ctl3d32.zip e estamos conversados.

A "transformada wavelet" é o modelo matemático em que se baseia o Summus Image Compressor. Altamente otimizado, ele tira máxima vantagem da eficiência computacional e das propriedades de condensação de informações dos wavelets. O método consegue gerar imagens úteis com taxas de compressão que tornariam inúteis imagens JPEG e que inviabilizariam a compactação por fractais, diante do tempo proibitivo de descompressão. Quem primeiro aplicou este modelo comercialmente à compactação de arquivos foi a firma Summus Ltd., fundada em 1991, fornecedora de soluções de compressão de imagens e video para as forças armadas dos EUA. No final da década de 80 o Dr. Bjorn Jawerty foi um dos precursores no campo da matemática dedicado aos wavelets. A empresa declara ter desenvolvido o compressor de imagens mais rápido e de maior qualidade até hoje, com eficiência comprovada por diversos estudos independentes patrocinados pelo governo dos EUA e pela indústria privada. Construído sobre uma máquina de transformada wavelet ultra-rápida, o compressor da Summus ataca um dos maiores obstáculos à efetiva "Webização" da Internet, ou seja, o tempo de transmissão de imagens. O compressor da Summus apresenta as seguinte características, algumas delas revolucionárias: controle da taxa de compressão, 12 métodos de codificação, foco em múltiplas regiões de interesse de uma imagem, transmissão progressiva, tamanho ilimitado de imagens, processos wavelet embutidos (aumento de contraste, magnificação, apuração de bordas, redução de ruído, re-silenciamento de erros), rapidez de des/compressão, melhor taxa de qualidade versus compactação, não necessidade de hardware específico e flexibilidade nas transformações wavelet.

O meio científico vem trabalhando firme em cima da tecnologia wavelet. Diversos eventos relacionados ao assunto estão programados até o final do ano. Congressos, reuniões, workshops e seminários acontecerão nos cinco continentes. A tecnologia wavelet já está sendo estudada também visando compressão de arquivos de audio. Os trabalhos de Jack Yang <jyang@mhz.com> ainda estão começando, mas poderão representar uma revolução no tamanho dos arquivos sonoros.

As aplicações dos wavelets vão muito além do tratamento de imagens digitais na Web. A lista de possibilidades é tão extensa que não irei lhe aborrecer desfiando todo o rosário. Apenas para citar algumas: eletrônica, geofísica, geologia, medicina, zoologia, engenharia financeira e, é claro, informática.

Quem assinar a mailing list Wavelet Digest, mesmo a título de experiência, vai se surpreender com os assuntos tratados e com a séria abordagem. Mande email com corpo vazio e subject "subscribe" para o endereço wavelet@math.sc.edu. Se quiser baixar um montão de coisas sobre o assunto, mire seu ftp anônimo para ftp.math.sc.edu, diretório /pub/wavelet.

Já se produz grande quantidade de software e ferramentas para tratamento e simulação de wavelets. Como se trata de assunto bastante divulgado entre cientistas, existe muita coisa grátis. Exemplos recentes são o pacote para Mac (http://www.intergalact.com/macwavelets/macwavelets.html) e as ferramentas para MATLAB, estas produzidas na Universidade de Vigo, na Espanha (http://www.tsc.uvigo.es/~wavelets/uvi_wave.html). Se francês não é problema para você, vale visitar o site http://www.atinternet.fr/image, cuidando para a denominação chique que ele dão aos wavelets: ondelletes.

Aperte agora a tecla "PAUSA" e viva bem sua semana. O espaço acabou e, para continuar lendo sobre wavelets, só segunda que vem.

 


[ Voltar ]