O GLOBO - Informática Etc. - Carlos Alberto Teixeira
Artigo: 248 - Escrito em: 1996-05-22 - Publicado em: 1996-05-27


Arranca-rabo à vista


A virada do século vem aí e ainda tem muita gente despreocupada com o assunto. O mundo vai acabar? Uma catástrofe? Bem, nem tanto. A leitora assídua deve se lembrar da "maldição dos seis dígitos" (vide edição de 07/11/94). Vamos refrescar a memória? Na maioria dos sistemas mais antigos, as datas são armazenadas como números de seis dígitos, no formato AAMMDD (960527 seria o dia de hoje). No início do ano 2000, o valor seria 000101, ou seja, dia primeiro de janeiro de 2000. É claro que os novos softwares que estão saindo agora do forno já estão preparados para enfrentar essa encrenca, mas para o "resto" dos programas, muito trabalho terá que ser feito para evitar uma verdadeira catástrofe digital. A questão é muito séria, pois faltam menos de quatro anos para a virada.

Tanto é, que o pessoal já está meio desesperado com a crise iminente e até um encontro está programado para os dias 27 e 28 de junho deste ano em Saint Louis, nos EUA. Trata-se do "Summit Meeting Of Year 2000 Date Crisis Problem Solvers". O evento é promovido pelo Millennium [thanks for the "n"!] Task Force da IEEE Computer Society e reunirá grupos, indivíduos e provedores de serviços empenhados em resolver a crise de datas do ano 2000 para si mesmos e para seus clientes. O objetivo do encontro é preparar uma mensagem coordenada e planejar uma pesada campanha com o objetivo de chamar a atenção de executivos e gerentes nas esferas industrial, corporativa e governamental. Qualquer um é bem-vindo às discussões, mesmo que queira ficar de bico calado. Os trabalhos estarão abertos à imprensa e haverá também uma exibição tecnológica centrada nos temas de reengenharia e nas soluções para a crise do ano 2000. Maiores informações em http://www.tcse.org/year2000, ou via e-mail com Karen White <krwhite@tasc.com> e Judith Golub <j.golub@computer.org>.

Se você é da área de sistemas, não deixe para resolver essa questão na última hora. Com o jeitinho brasileiro de adiar as soluções, imagine o arranca rabo que vai haver em 99.


O Sr. Fernando Wagner, da COPPE/UFRJ, é um dos organizadores da campanha na Internet pela realização dos Jogos Olímpicos de 2004 no Rio de Janeiro. Ele está conclamando toda a brasileirada que navega na rede pelo mundo a participar, tendo conseguido até apoio de interneteiros estrangeiros do Japão, Itália, EUA, Portugal, Panamá e até da nossa rival na disputa, a Argentina. Participe com sua assinatura digital e divulgue o link Web da campanha, que é http://www2.labma.ufrj.br/rio2004.html


Sujeito batuta taí, o Sr. Pedro Miller Rabinovitch da PUC-RIO. Ele teve a ótima idéia de criar um banco de trocas de CD-ROMs. Sabe aquele joguinho que você já está enjoado de usar e que está empoeirando no armário? Pois bem, que tal trocá-lo por outro? O banco de trocas é um serviço gratuito, bastando apontar seu browser para http://venus.rdc.puc-rio.br/pmr ou então mandar e-mail para miller@icad.puc-rio.br


Nosso correspondente em Minsk, Belarus, o Sr. Oleg Danilow <75443.1167@CompuServe.COM>, também está atento aos riscos tecnológicos que nos cercam. Ele nos conta que a vitória contra um recente e violentíssimo incêndio ao sul da Cote d' Azur, na França, foi celebrada como maravilha da moderna tecnologia de combate a fogo. Dois hidro-aviões especiais foram convocados em questão de minutos, chegaram ao destino rapidamente, engoliram grande quantidade de água do Mediterrâneo e depois abriram seus tanques com precisão sobre o incêndio, debelando imediatamente as chamas na encosta. Tudo era alegria e o vinho corria solto nas comemorações, até que um cadáver foi encontrado no meio das cinzas. O legista concluiu que o cavalheiro aparentemente caiu de grande altura, sofrendo sérias lesões antes de morrer queimado. Notou também que a vítima usava calção de banho, máscara de mergulho, snorkel e nadadeiras.


[ Voltar ]