O GLOBO - Informática Etc. - Carlos Alberto Teixeira
Artigo: 276 - Escrito em: 1996-12-04 - Publicado em: 1996-12-06


Caixa cheia de junk e-mail


Nossos colegas que têm conta e-mail no exterior avisam que a coisa está ficando feia. Refiro-me às desagradáveis peças de "junk e-mail" que são despejadas às centenas a cada semana nas caixas de correio eletrônico do mundo inteiro. A prática, denominada SPAM, é odiada por todo usuário que se preze. É bem verdade que há alguns spams que são até simpáticos, como mensagens para o dia de Ação de Graças (data nobre nos EUA) e festas natalinas, mas o que irrita mesmo são aqueles terríveis mails de correntes, pirâmides e compre isso e compre aquiloutro.

Muitos desses spammers malditos ainda se dão trabalho de iniciar a mensagem pedindo mil desculpas pela intromissão. Alguns ainda mais caras-de-pau dizem que você foi automaticamente incluído em uma mailing list e que, para ser eliminado da tal lista, você deverá responder à mensagem, colocando no "Subject:" o comando REMOVE. Olha, leitora, cada vez que eu recebia uma mensagem dessas mencionando "remove" eu ficava tiririca da vida e tascava no ato a resposta exigindo eliminação imediata. E para confirmar o reply dava uma dedada no ENTER com tanta raiva que só faltava arrebentar o teclado sebento e surrado.

Pois muito bem, depois de uns trezentos "removes" comecei a perceber que o junk e-mail só fazia aumentar e aumentar na minha caixa. Aí resolví dar uma frequentada nos newsgroups adequados na Usenet e tentar capturar algum papo sábio por lá. Não demorou muito para eu descobrir que talvez estivesse fazendo papel de otário. Ajeite-se na cadeira que eu explico.

Um spammer pega imensas listas de endereços e-mail e sai metralhando sua mensagem feito doido. Ele obtem essas listas das mais variadas fontes, coisa que não vem ao caso no momento. O fato é que, normalmente, o spammer usa um endereço falso como remetente. Aí, quando a gente tenta responder à mensagem dele, reclamando do spamming ou pedindo para que ele pare de enviar mensagens indesejáveis, a resposta do sistema é que o tal usuário não existe. Acontece que alguns spammers conseguem, não me perguntem como, receber apenas os nossos replies com "remove".

Segundo os bam-bam-bans da Usenet, quando a gente responde com "remove", o spammer fica sabendo sem sombra de dúvida que atrás do nosso e-mail tem realmente gente. Muito endereço nessas listas quilométricas que eles usam já está caduco. Ou o cara mudou de universidade, mudou de provedor, abandonou a Internet, ou qualquer coisa do tipo. Assim, quando recebe um "remove", nosso pobre endereço passa para uma lista de e-mails confirmados e aí a coisa piora cada vez mais para o nosso lado, em termos de e-mail metralhado.

Sei que a mania do spamming ainda vai esquentar, e muito, aqui no Brasil. Mas já parei de devolver raivosos "removes" para essas mensagens detestáveis. Aperto tranqüilamente minha teclinha de DELETE e tchau, tchau.


Nesses tempos de toda gente possuindo página Web, é bem provavel que você já tenha dado suas orelhadas na linguagem HTML. É meio chatinha, reconheçamos, mas até que dá para encarar. Provavelmente você já se viu em pleno editor em modo texto, digitando aquelas tags desonestas e verbosas. A página acaba saindo, mas a trabalheira é imensa, se você decide editar na munheca.

Mas quem foi que disse que a gente tem que sofrer? Existe um monte de editores Web aí nas paradas. Já ouví falar de muitos, às vezes bem, outras mal. Talvez você já esteja usando um deles há tempos, mas no meu caso só há pouco decidí experimentar um deles. Apelei para os amigos João Marinho <marinho@ibm.net> e Américo Oliveira <americob@microsoft.com> que usam o Microsoft FrontPage e decidi fazer um teste. Resultado, fiquei apaixonado. Nunca pensei que poderia ser tão fácil criar um conjunto de páginas Web, alterá-lo e enfeitá-lo a valer. O programa organiza toda a sua árvore de páginas, faz checagens espertíssimas e você fica com sua webzinha super-enxuta. Acabei refazendo minha árvore inteira (que estava a maior bagunça) com essa formidável ferramenta. Se quiser dar uma olhadela no resultado, visite <http://www.icad.puc-rio.br/~cat>. Se quiser dar uma tentada, vá até o site da Microsoft <http://www.microsoft.com> e baixe a versão beta. Você não vai se arrepender.

 


[ Voltar ]