O GLOBO - Informática Etc. - Carlos Alberto Teixeira
Artigo: 298 - Escrito em: 1997-05-06 - Publicado em: 1997-05-12


Verdades e mentiras


"Comprei um modem novo que é uma loucura de rápido: 1200 bps." Em 1989, quando os modems acessíveis ao público eram de 300 bps, essa era a frase dos metidinhos a besta querendo contar vantagem sobre os colegas de BBS. Hoje ficamos até meio zonzos com a velocidade dos modems e ainda mais com a rapidez com que são lançadas versões cada vez mais ligeiras no mercado.

Nos dias que correm, como a grande massa internética nacional possui modems 28 (apelido dos aparelhos de 28800 bps), vamos parar por aí, analisando alguns mitos que perduram sobre a questão dos modems. Na Usenet, um camarada que sempre aparece com ótimos toques sobre modems é o nosso colega William Garfield <wdg@hal-pc.org>, cujas dicas repasso para vocês.

Uma das piores lutas do usuário de modem 38 é conseguir conexões com velocidade máxima. A qualidade da linha telefônica é um ponto chave nessa matéria. Com linha ruidosa não tem jeito, o modem faz fallback sem piedade, ou seja, automaticamente desiste de conectar-se em alta velocidade e de imediato negocia com o outro modem uma velocidade menor, repetindo a operação até que a transmissão de dados seja possível e ambos modems entrem num acordo.

Muito embora alguns ainda insistam em dizer que não é possível aqui no Brasil estabelecer conexões mais rápidas que 26400 bps, isso não é verdade, pois estou careca (procede a interpretação literal do termo) de fechar a 28 várias vezes por dia, mesmo estando o laboratório em área telefonicamente podre da cidade. É vero que conexões a 28 exigem o máximo da linha em termos de pureza, mas ainda dá para a gente se divertir e muito.

Os dois Problemas mais comuns numa linha telefônica podem ser: largura de banda insuficiente ou baixa relação sinal-ruído. Quanto à largura, vejamos alguns valores mínimos. Para conexão a 28800 bps, o padrão V.FC/V.34 requer largura de banda de 3200 Hz, ou seja, de 320 a 3520 Hz. Para 26400 bps, requer 3000 Hz, entre 375 e 3375 Hz, e para 24400 precisa de 2800 Hz de largura, entre 467 e 3267 Hz. O V.34 tem algum jogo de cintura e pode tolerar valores fora desses limites estritos, dando um "chega-prá-cá" nos limites da banda, mas em resumo as faixas são essas. Alegria mesmo era no tempo dos nossos modemzinhos 14400 bps (V.32bis), quando dava para fazer a festa com banda de 2300 Hz, de 600 a 3000 Hz, requisito obedecido por quase qualquer linha aqui no Brasil.

Outro equívoco que circula por aí é declarar que a velocidade depende exclusivamente da conexão SLIP/PPP do servidor. Com linhas perfeitas, a velocidade é limitada apenas pelo modem do servidor. De nada adianta você ter um desses modems de 56 kbps se o seu provedor só tem modems de 28.

Sobre as mazelas do velho "com driver" do Windows 3.1x, o pessoal que já anda às voltas com o Windows 95 não mais tem encrencas, pois seus drivers estão melhor preparados para modems rápidos.

Se você estiver usando um US Robotics, configure sua "port speed" para, no mínimo, 38,400 bps. Esse detalhezinho já resolveu o caso de muita gente infeliz.

Também já ouvi gente dizendo que a maneira como se configura o Winsock influi na velocidade da conexão. Alto lá. O que pode estar ocorrendo é que o "baud rate" esteja configurado para permitir conexões V.34.

Uma ligação telefônica entre dois pontos passa por uma ou mais caixinhas comutadoras, num percurso que não usa sempre os mesmos caminhos (fios) a cada vez que se liga. É por esse motivo que pode haver diferença de qualidade entre duas conexões distintas, mesmo que esteja você ligando para o mesmo lugar.

Você pode tentar melhorar a qualidade de sua linha saindo pela casa e desplugando todos os aparelhinhos malditos que possam estar interferindo no caso. Fique alerta e desligue tudo: extensões, secretária eletrônica, fax, caixinha Caller-ID (tipo Bina), indicador de linha-em-uso, base de telefone-sem-fio, discador automático, protetores de voltagem ou filtros de linha. Podem haver ainda dispositivos utilitários de medição remota pendurados na sua linha, mas isso não é da nossa alçada e sim coisa da telefônica. Se estiver no escritório, experimente uma linha direta, ao invés de um ramal PABX. Depois que sua linha estiver peladinha, verifique a qualidade das conexões via modem e prepare-se para uma boa surpresa. Vá então reconectando os aparelhos um a um e monitorando a qualidade. Poderá até encontrar um dispositivo que seja o vilão da história, ou mesmo uma certa combinação que venha a ser especialmente prejudicial.

Sua fiação telefônica também merece atenção. Se estiver cheia de fios diferentes, gatilhos, emendas e maçarocas, há altas chances de haver mau contato em diversos pontos. Vale a pena chamar um profissional para refazer o trabalho. Fios telefônicos deve ficar longe dos fios elétricos e, caso precisem se cruzar, devem fazê-lo em ângulo reto (aquele ângulo que ferve a 90 graus). Existe um texto meio velhinho, mas bastante completo para o caso de a leitora querer pesquisar um pouco mais. Visite http://www.missouri.edu/~ccgerry/tel_line.txt

Para terminar. Na hora de comprar um modem, espere um pouco e economize nesse mês, para poder comprar um modem melhor no mês que vem. Em se tratando dessas caixinhas mágicas, vale mesmo a antiga máxima. O barato sai caro.


[ Voltar ]