O GLOBO - Informática Etc. - Carlos Alberto Teixeira
Artigo: 301 - Escrito em: 1997-05-29 - Publicado em: 1997-06-02


Comida de gato


Estava folheando uma dessas mil revistas que rolam aqui pela redação e dei de cara com um anúncio muito interessante em que aparecia um tubarão nadando e arrastando o fio dum mouse. Era propaganda do CIP, CentroIn Internet Provider <http://www.CentroIn.com.br>, anunciando seu link com os EUA através de cabo submarino. Dropei um mail para o Sérgio Mascarenhas pedindo maiores informações e ele rebateu no ato. O CIP alugou 128 kbps de banda junto à AT&T no tal cabo subaquático. Estão ligados diretamente ao backbone da BBN Planet <http://www.bbn.com>. Com isso, estabeleceram uma ligação de alta velocidade entre a sede do provedor, na Torre Rio Sul, e a cidade de Cambridge, em Massachusetts, EUA. A grande jogada é que, nas rotas que se utilizam desse canal, os pacotes do CentroIn não passam pelos roteadores da Embratel nem da RNP. Portanto, não compartilham banda com mais ninguém até chegarem ao backbone dos gringos.

O CentroIn também possui um link de 128 kbps com o LNCC (Laboratório Nacional de Computação Científica <http://www.lncc.br>) e um outro link de 512 kbps com a Embratel. O Sérgio explicou que, apesar de a banda com a Embratel ser quatro vezes maior, os acessos para o exterior são usualmente mais rápidos quando se usa o link da AT&T. O motivo dessa aparente contradição é que, depois de atingir o nó da Embratel, todo o Brasil disputa largura de banda até chegar ao exterior. Com a ligação da RNP acontece a mesma coisa. Porém, com o link internacional direto, o CentroIn chega ao exterior sem disputar banda com nenhum outro provedor.

O CentroIn roda BGP-4, ou melhor, o Border Gateway Protocol versão 4. Sobre esse protocolo, de que eu ainda nunca tinha ouvido falar, três fontes na web podem esclarecer dúvidas. Uma introdução é oferecida em <http://www.net4u.it/Connected/Topics/05-Functions/Routing/BGP-4/index.shtml>, um breve tutorial pode ser encontrado em <http://www.academ.com/nanog/feb1997/BGPTutorial/index.htm>, mas se quiser saber tudo sobre BGP-4, consulte <http://www.pop-rj.rnp.br/rfc1771.txt>.

Quanto aos custos do link internacional, apesar de a negociação ter sido feita diretamente com a AT&T, metade do que o CentroIn paga vai para a Embratel. O Sérgio acha que a propriedade dos meios físicos é dividida entre as duas nações.


Roberto Marques Correa da Silva <rmarques@pobox.com> é um veterano dos tempos dos BBS. Micreiro dos bons, hoje dedica-se ao ofício como consultor em tecnologia ótico-magnética. Ele preparou uma web page que visitei recentemente e onde pude aprender coisas interessantes sobre armazenamento de dados, com ênfase em CD's. As páginas não têm firulas, mas são bem recheadas de informações para quem está começando nesse assunto. Diria que é uma visita que vale a pena: http://www.iis.com.br/~rmarques


Vai haver um concerto nos dias 7 e 8 de junho, fim-de-semana próximo, em prol do Tibete livre. O evento vai ser transmitido ao vivo pela Internet e para assistir é preciso se registrar, gratuitamente, em <http://www.sonicnet.com/tibet/reg/registration.html>. O acontecimento chama-se The Tibetan Freedom Concert Online 1997 e muita gente famosa vai estar em Nova York tocando e cantando para o ciberespaço inteiro ouvir: Foo Fighters, Radiohead, Beastie Boys, Björk, Alanis Morrisette e muitos outros. No ano passado, o Tibetan Freedom Concert se deu em San Francisco, no Golden Gate Park, e foi assistido por mais de 100 mil pessoas. Para assistir basta ter um modem 14, um browser que seja Netscape 3.01 ou Explorer 3.02, software RealAudio para ouvir o som dos SonicNet Cybercasts e o programa QuickTime para ver o video.


Questão pertinente ventilada há poucos dias no newsgroup soc.culture.brazil da Usenet: "Porque será que ainda não inventaram comida de gato com sabor RATO?"


[ Voltar ]