O GLOBO - Informática Etc. - Carlos Alberto Teixeira
Artigo: 318 - Escrito em: 1997-09-24 - Publicado em: 1997-09-29


Cabelo na venta


Nos tempos em que a nossa turminha começou a usar Autocad, ainda na versão 2.3, era o maior sufoco para conseguir macetes e truques. O negócio era sair papeando e agarrando os caras pela manga para tentar pegar um toque aqui e uma diquinha ali. Agora, com o release 14 e a febre da Internet, a coisa ficou bem mais fácil. Já temos newsgroups especializados na Usenet, como o "alt.cad.autocad", facilitando bastante a vida da comunidade de usuários do mais tradicional pacote de CAD (Computer Aided Design -- projeto assistido por computador) da Autodesk. Se você também é adepto do Autocad, assine a newsletter quinzenal WebWorks, que lhe chega gratuitamente via e-mail. Patrocinada pelas empresas Autodesk, Insight Development, ITAC Systems, Nemetschek Systems, OpenCAD International e Xerox Engineering Systems, a WebWorks já tem mais de 21 mil assinantes e é originária da excelente revista CADALYST, especializada no ramo. Para assinar, visite o site <www.cadonline.com/webworks/index.htm> ou, se quiser maiores informações, mande e-mail para o Dean Villegas <dean@cadonline.com>.


Verifique a qualidade de imagem de seu monitor de vídeo através da Internet, usando os padrões de teste da PC Magazine. Além dos seis testes básicos, estão disponíveis preciosas dicas sobre como regular seu monitor. Faça ajustes finos na nitidez e na resolução, acerte a intensidade das cores, verifique se há distorções geométricas, regule o foco e a convergência. Tudo isso pode ser feito diretamente no site <www.zdnet.com/pcmag/features/monitorsbig/test/_open.htm>


Em 1994, um mancebo chamado Win Treese <treese@OpenMarket.com> resolveu publicar uma série de estatísticas sobre a rede, reunindo-as sob o título "The Internet Index" e divulgando-as através de mailing list. Logo nos primeiros meses já havia 213 assinantes da lista e agora em setembro de 1997 já somos 10118 almas, por ocasião da décima nona edição. A periodicidade é meio incerta e varia de veneta com o humor do Win, mas ninguém está lá se importando muito com isso. O que vale são as coisas e números desencontrados que ele joga, surpreendendo a gente e fazendo brotar idéias sobre o rumo que essa coisa de Internet vai tomando. Onde vai parar isso tudo ninguém sabe, pois o crescimento da rede é algo assombroso. Em fevereiro desse ano, a revista Boardwatch publicou uma lista contendo os 1447 provedores Internet nos EUA e no Canadá. Em agosto esse número subiu para 4133.

Algumas estatísticas apresentadas no Internet Index são meio bobocas, ao passo que outras citam números tão monstruosos que às vezes a gente se perde. Quando começam a falar de cifras gigantescas, nossa cabeça não está habituada e acaba se confundindo. Essa coisa de milhões e bilhões, por exemplo, é muito acima da nossa realidade. Apenas à guisa de teste, você diria que desde o suposto nascimento de Jesus Cristo até agora, já teriam transcorrido mais de 1 trilhão de segundos? É só pegar a calculadora e sair multiplicando. Passaram-se apenas menos de 63 bilhões de segundos. Só vai completar o total de 1 trilhão em meados de outubro do ano de 31709 D.C. Voltando à Internet, depois desse chá de números, dá para a gente entender melhor quando o Win Treese declara que, em 1997, espera-se que sejam enviadas 2,7 trilhões de mensagens via e-mail. No ano 2000, estima-se que esse número deverá subir para 6,9 trilhões.

Quem quiser assinar a lista, mande e-mail para <internet-index-request@OpenMarket.com> com apenas uma linha de mensagem, contendo o comando SUBSCRIBE. Se quiser dar uma olhadela nas edições passadas e em algumas citações, visite <www.openmarket.com/intindex/>.

Só mais uma estatística curiosa. Sabe aqueles cabelinhos que nascem nas ventas? Existe um aparelho elétrico a pilha, uma espécie de barbeador, especialmente desenhado para penetrar docilmente na narina do infeliz e podar os inconvenientes fâneros. Pois bem, nove entre dez usuários desse implemento agrícola concluíram que não podem mais viver sem ele. Lembrei-me desse exemplo porque lá no Internet Index de setembro consta que 20 milhões de americanos consideram a Internet como algo indispensável.


Olhaí, Dona Marlene: Feliz aniversário, mamãe!


[ Voltar ]