O GLOBO - Informática Etc. - Carlos Alberto Teixeira
Artigo: 341 - Escrito em: 1998-03-06 - Publicado em: 1998-03-09


A odisséia dos genes virtuais


Nova fase da coluna C@T, nova diagramação e a inefável honra de ter por perto as obras magistrais do artista Cruz <cruz@oglobo.com.br>, de cuja mente brotam os desenhos daquele gatinho safado, sempre cercado das mulheres mais boazudas desse mundo. Por coincidência, o causo que hoje lhes trago tem a ver com o clima cruziano.

Uma entusiasmada interneteira de nome Sarah Cooke <wytchiwoman@yahoo.com>, freqüentadora da tradicional mailing-list SEX-L, reportou um interessante caso que se deu recentemente em Colorado Springs, nos EUA. A jovem Frances Wyndham, grávida de poucos meses, declarou peremptoriamente que o pai de seu neném está sentado diante de um computador a quase 2.500km de distância. Ela acredita piamente que engravidou durante um chat sexual on-line com ele via Internet. Frances disse que as palavras de seu interlocutor foram tão convincentes que ela tinha a real sensação de que estava fazendo sexo com ele. Ela disse ter até ouvido sinos tilintando e fogos de artifício espocando naquele momento mágico. Segundo a moça, seu corpo reagiu de acordo com os estímulos e, como conseqüência, acabou grávida. "Parece difícil de acreditar", diz Frances, "mas por mais de dois anos não tive contato sexual com qualquer outro homem! Quem mais poderia ser o pai?"

Clarence Kudrow, o pobre sujeito que ela jura de pés juntos tê-la fecundado, está completamente obstupefato com as acusações, mais ainda pelo fato de ela estar ameaçando entrar com uma ação de paternidade contra ele. "Nunca estive no Colorado em toda minha vida", revelou, atônito, o técnico, de 27 anos de idade, residente em Buffalo, Estado de Nova York.

Por incrível que pareça, um certo dr. John Swall, renomado especialista em casos de gravidez anômala, diz que Frances pode estar certa. Segundo o médico, se ela de fato teve sexo a última vez há dois anos, existe uma chance, de cinco milhões contra um, de que algum esperma tenha sobrevivido e se mantido dormente em seu corpo. Assim, devido a seu elevado estado de excitação durante a sessão de chat, ela pode ter feito reviver o tal esperma dorminhoco, resultando na gravidez. "No entanto", declara o médico, "dizer que o sr. Kudrow é o pai é simplesmente ridículo".

Só existem nos EUA 18 casos comprovados de gravidez por esperma dormente em mais de 25 anos de dados registrados. Em um desses casos, uma viúva de Ohio engravidou 38 meses após ter tido relações com seu marido, poucos dias antes de ele falecer. E, após os testes de DNA, provou-se que o bebê era realmente do finado esposo.

Frances, uma balconista de 26 anos, encontrou-se virtualmente com Clarence em uma sala de chat para solteiros na Internet. Pouco tempo depois estavam trocando conversas íntimas via computador. A jovem ainda está convencida de que a única explicação para sua gravidez é a tórrida sessão de ciber-sexo que teve com Clarence.

Tudo isso será esclarecido quando Frances fizer testes de sangue. Mas o que está atiçando a imaginação da galera da SEX-L é a seguinte questão: será que o Clarence poderá ser obrigado a também fazer testes de sangue? Com base em que argumentos? Parece difícil que alguém possa forçar o mancebo a fazer o tal teste, a menos que Frances consiga encontrar um juiz imbuído da avançada mentalidade New Age, que acredite que a presença física não é essencial para que uma gravidez venha a se consumar. Será que a jovem é tão cabeçuda a ponto de acreditar que os genes do Clarence podem ter se transferido através de pacotes TCP/IP numa rede?

Outra questão que instiga os ânimos é que, caso se trate mesmo de um caso de síndrome de esperma dormente, quem é o responsável? É o pai biológico, o cavalheiro de dois anos atrás? Ou o convincente Clarence, por excitar tanto a Frances a ponto de acordar os gametas sonolentos do outro?

Vou tentar acompanhar o caso, mesmo que tenha que assinar a lista SEX-L, que, segundo se diz por aí, manda uma tonelada de mensagens e-mail por dia para seus ávidos assinantes. Qualquer novidade, pode deixar que eu conto depois.


Logo que entrei para a Internet encontrei um longo texto em inglês que me causou profundo impacto, do qual não me refiz até hoje. É um verdadeiro livro, de autoria de L. Wolfe, que mostra como as massas são influenciadas pelos meios de comunicação. Anos depois, tive a grata surpresa de ver o texto traduzido por abnegados então colegas de BBS: Victorino Santos, Ronaldo De Biasi e Antônio Carlos Gay Thomé. Estava sendo oferecido como arquivo para download nos principais BBS da cidade. E agora, para gáudio da galera, a tradução está disponível na Web. Basta você clicar aqui. O texto pretende comprovar a contínua degradação proposital dos valores morais de nossa sociedade, que se alastra por todo o mundo ocidental e começa a invadir também o oriente, utilizando técnicas de lavagem cerebral. Particularmente, acho que em alguns pontos o autor exagera, mas a leitura certamente vale muito a pena. Nada de pressa: relaxe e aproveite.


Outro artigo do CAT publicado no mesmo dia: Internet2 já interliga 120 sites nos EUA


[ Voltar ]