O GLOBO - Informática Etc. - Carlos Alberto Teixeira
Artigo: 373 - Escrito em: 1998-10-14 - Publicado em: 1998-10-19


ICQ continuará sendo grátis... por enquanto

BOATOS CONFUNDEM USUÁRIO NOVATO DO ICQ


Está circulando uma densa boataria de que o ICQ vai deixar de ser gratuito. Mensagens falsas nesse sentido estão aparecendo tanto dentro quanto fora do board de mensagens do ICQ. Mas é tudo mentira. O pessoal que já usa o software há mais tempo já se acostumou a essas levas de boatos e deleta esse tipo de mensagens logo de cara. Mas os usuários que estão chegando agora, dezenas de milhares por dia, acabam se sentindo perdidos ou enganados diante dos rumores de que o site passará a cobrar mensalidades. Se parassem para pensar um pouco, porém, mesmo os novatos concluiriam que a empresa não iria divulgar notícias importantes de cobrança através de meras cartas-corrente.

As mensagens falsas são às vezes até bem criativas, contando com a ingenuidade dos usuários pouco experientes. Uma das mais difundidas dá conta de que ICQ passaria a cobrar US$ 10 por mês e que este total seria equivalente a cinco pontos "brownie". Essa coisa de ponto "brownie" na verdade é pura invenção dos boateiros. Segundo eles, para cada 20 pessoas para quem você reenviasse este aviso de futura cobrança, você ganharia um ponto "brownie". Portanto, se enviasse o alarme-falso para 100 usuários, ganharia cinco pontos e não precisaria pagar a suposta tarifa para o mês em questão. Para explicar como seria feita a contabilidade desses pontos, os boateiros explicam que a mensagem original conteria um programa especial invisivelmente "attachado" que rastrearia quem estivesse ganhando pontos "brownie" por estar difundindo estas mensagens de utilidade pública. Engenhoso, não?

Outra lorota bem difundida no sistema é a de que os servidores ICQ estariam superpovoados e que não estariam agüentando o rojão. Portanto, a empresa passaria a cobrar US$ 45 por ano de todos os usuários que não difundissem esta informação.

Visite a página do ICQ <www.icq.com> se quiser ler uma detalhada descrição dos boatos e de seus desmentidos oficiais. Os primeiros alarmes-falsos surgiram em inglês, é claro. Depois apareceram em francês e alemão. Existe uma página sobre assunto em nossa língua <www.virtualand.net/icq/spam_.html>, muito embora ainda não se tenha visto traduções dos boatos para o português. Mas agora que a leitora já está de sobreaviso, não vai cair nessa, não é?


Não é uma revista na Web, é o "AQUI!", uma estação na Web, um site de conteúdo. Trata-se de uma iniciativa do grupo "Cadê?", que criou um guia dinâmico e grátis sobre a Internet residindo na própria Rede. Editado pelo Fernando Villela <fervil@pobox.com>, o legendário Fervil, o site "AQUI!" foi inaugurado na semana passada, servindo como uma ponte entre o mundo real e o virtual. O endereço é <www.aqui.com.br> e o site está cheio de artigos gostosos de ler sobre esse universo fascinante que recebe multidões de novos visitantes a cada dia. Lá você não encontrará textos pesados, nem artigos técnicos casca-grossa. Apenas leitura agradável, num estilo suave e ameno, permitindo muitas vezes que o usuário interaja com o tema, expressando sua opinião como bem preferir. O "AQUI!" divide-se em várias seções que são atualizadas semanal, quinzenal ou mensalmente, dependendo da carga de novidades que for pintando. Cada seção tem um endereço e-mail próprio, facilitando a comunicação com os autores dos artigos: Cinema, Comportamento, Diretório, Download, Entrevista, Estatísticas, Eventos, Labteste, Livros, Polêmica, Promoções, Quadrinhos e Turismo, entre outras. A seção "Logo Ali" apresenta uma seleção de matérias encontradas nas mais importantes publicações na Web, entregando para o visitante a coisa já bem resumida e sem encheção de lingüiça, devidamente enriquecida com uma boa coleção de links pertinentes.


A leitora já deve ter ouvido falar da onda de pirataria de audio, através dos formidáveis e super-comprimidos arquivos de som em formato MP3 (mpeg3). A empresa Diamond Multimedia bolou um aparelhinho capaz de tocar música a partir de arquivos MP3, o Rio PMP 300 <www.diamondmm.com/products/current/rio.cfm>, o que seria um chuá para a grande comunidade de usuários que possuem arquivos de audio pirata capturados livremente na Internet. Acontece que entidade americana que protege a indústria contra piratarias desse tipo, a RIAA (Recording Industry Association of America), se enfezou e abriu processo contra a Diamond Multimedia alegando que o novo aparelho estaria encorajando a quebra dos direitos autorais, o que é a mais pura verdade. O diacho é que o tocador de MP3 não é um gravador, ou seja, não é através dele que o usuário incorre no delito de piratear as canções. No final das contas, a RIAA acabou ficando com cara de boba. Maiores informações sobre o formato MP3 e todas as implicações legais deste caso e de contendas similares, podem ser encontradas no site <www.mp3.com>.


Nosso correspondente em Los Angeles, Jorge Vismara, o primeiro argentino baiano do planeta, disponibilizou em seu site uma assombrosa fotografia esférica IPIX <www.ipix.com>, na qual você pode rodar 360 graus em todos os sentidos usando o mouse, como se estivesse realmente dentro da cena. Uma fantástica bolação. O download é de uns 400 kb, mas vale a pena. É quase inacreditável: <www.pelourinho.com/image/snowmoun.exe>.


[ Voltar ]