O GLOBO - Informática Etc. - Carlos Alberto Teixeira
Artigo: 403 - Escrito em: 1999-05-11 - Publicado em: 1999-05-17


Agenda Rex


Programa freeware dá banho na concorrência, graças à sua simplicidade de uso

A agenda do seu computador é simples, facílima de usar, escrita em português e desprovida de perfumarias inúteis? Se não é, então sugiro fortemente que ponha as mãos na Agenda Rex o quanto antes, obra prima de clareza e objetividade, oferecida à comunidade inteiramente grátis. O autor, Marcelo Rychter <agendarex@pobox.com>, é conhecido meu há 17 anos, dos tempos em que eu trabalhava como programador Mumps na Medidata. Lá conheci um analista de sistemas que logo me chamou a atenção pelo gênio que era e logo me aproximei. Aprendi muito profissionalmente com esse camarada, em especial, a valiosa noção do rigor. Nossos caminhos se separaram, mas recentemente reencontrei-o numa padaria, trocamos e-mails, e ele me falou da Agenda. Pensei logo que era um produto comercial que ele queria me empurrar, mas qual nada. Era um presente que estava me dando, aliás, para mim e para qualquer um que se dê ao trabalho de visitar o endereço <www.medidata.com.br/htm/agendrex.htm>.

O pulo do gato desta agenda Freeware é sua flexibilidade e a ênfase dada ao lado humano dos compromissos. Sabendo da natureza dinâmica de nossos afazeres e da tendência nossa de esquecer que o dia só tem 24 horas, é possível transpor atividades para outros dias, entre outras inteligentes sacadas que o programa proporciona. O ciclo de desenvolvimento da agenda, enquanto peça de software, é como o de um organismo vivo, em constante evolução, graças ao retorno que os usuários vão dando ao Marcelo, sob a forma de críticas, comentários e sugestões. Por não ter nenhuma finalidade comercial, a agenda pode ser instalada inúmeras vezes em quantas máquinas se quiser, sem limitações de qualquer espécie. Aliás, o autor quer justamente isso pois, quanto mais gente a usar e der seu feedback, melhor vai ficando o programa, que no final das contas é para ele uma lúdica e divertida experiência de desenvolvimento de software. A Agenda Rex está em sua versão Nanda 1.0. O nome do software veio de uma brincadeira que o Marcelo fazia com seu filhinho Pedro; maiores detalhes clicando em "Sobre/Origem", depois que você tiver baixado e instalado o software, cujo executável zipado fica com 1,3 Mb. Segundo o autor, Rex foi o primeiro cachorro célebre documentado na História. Viveu no século XV e seu dono foi um alquimista de nome Antrodo Phileas, que o adestrou para farejar pepitas de ouro. O talento do cão nesse afã acabou mostrando-se fabuloso. Rex morreu em 1461.


Jogo a toalha. Convenceram-me de que não temos mais nada a dever para os gringos. Na coluna de 1999-05-03 <www.oglobo.com.br/arquivo/info/cat/401.htm>, diante de meu confiante desafio de que ninguém iria rebater o lance do meu amigo nos EUA que marca com a faxineira via e-mail, um cabra da peste chamado Jorge Faria <jorgef@lmiinc.com.br> informou, para meu desespero, que aqui mesmo no Rio existem quatro agências de empregadas domésticas que oferecem este serviço. Para humilhar ainda mais esse articulista, complementou dizendo que a própria faxineira dele aqui no Rio, Madeleine, usa um e-mail do Yahoo e também atende pelo correio eletrônico. Ao final da mensagem, o Jorge ainda teve o descaramento de me sugerir largar o micro e sair um pouco mais de casa. Ah, que raiva que eu fiquei desse cara.


No meio da atual batalha entre os formatos de som digital, em que os grandes do mercado apostam nesse ou naquele padrão, a empresa TouchTunes Music Corporation uniu-se à Bose Corporation para lançar uma linha de jukeboxes digitais baseadas em MP3. A TMC entrou com o sistema operacional e a interface, a Bose com o hardware. Para quem não conhece o termo jukebox, é aquele aparelho toca-discos por moedinha que se encontra nos bares. Começou com discos de vinil e hoje toca CD's. As novas versões destas engenhocas são inteiramente digitais e baseiam-se em discos rígidos de cerca de 4,5 Gb de capacidade. A TouchTunes está negociando com diversas gravadoras para adquirir direitos de reprodução de mais de 100 mil canções que podem ser "downloadeadas" para dentro das jukeboxes através de modems de alta-velocidade. A nova tecnologia possibilita aos locatários das jukeboxes alterar instantaneamente a lista de músicas disponíveis e, caso um ou mais artistas da seleção de canções estejam dando shows nas proximidades, podem ser exibidos na "touch-screen" anúncios pagos, com informações sobre ingressos, horários e locais dos eventos. Lá para fim da madrugada, quando termina o expediente do bar, a jukebox se conecta à biblioteca do servidor central de músicas, baixando novas canções e gráficos e depois envia à mesma central os dados sobre o uso do artefato durante o dia. Estas últimas informações servem para informar aos operadores quais artistas e tipos de música estão vendendo mais em determinadas regiões. Isso ajuda os promotores de eventos a agrupar artistas e estilos de modo a maximizar seus lucros, atacando os nichos certos de mercado.

Já existem cerca de 350 jukeboxes digitais inteligentes operando nos EUA. No momento apenas 11.500 músicas já estão disponíveis para o download automático da madrugada. Cerca de 2.000 novas canções são baixadas semanalmente para as jukebox já instaladas. A rede destas jukeboxes digitais sustenta-se num método seguro de transmissão protegida de arquivos MP3 criptografados, através da malha TCP/IP. Essa abordagem adere ao padrão que está sendo analisado pela SDMI (Secure Digital Music Initiative).

O sucesso da iniciativa pioneira da TouchTunes já é flagrante, tanto que a companhia agora quer conquistar o resto do mundo, santa megalomania! Fundada em 1994, a TouchTunes <www.touchtunes.com> investiu quatro anos em pesquisa e desenvolvimento, incluindo testes de mercado, com licenças da Warner Bros, EMI e Universal. Começou a testar no campo as primeiras jukeboxes em meados de 1998. Atualmente a TouchTunes já tem licenças da BMG North America, Jive Records, Universal Music Group e Warner Music Group, além de gravadoras independentes. Se alguém me provar que já tem uma dessas jukeboxes aqui no Rio, eu pago um almoço no Crack dos Galetos aqui na Siqueira.


[ Voltar ]