O GLOBO - Informática Etc.
Carlos Alberto Teixeira - C@T

WIRELESS TV

Artigo: 481

Reaprenda as quatro operações antes que seja tarde

Publicado em:  2001-01-15
Escrito em:  2001-01-11

 

Em 1958, Isaac Asimov escreveu "The Feeling of Power" (Sensação de Poder), que pode ser encontrado em seu livro Nove Amanhãs. Nele, a humanidade do futuro permite que os computadores assumam tarefas que acabam controlando as vidas de todos. Até pequenos cálculos matemáticos as pessoas deixam de fazer, confiando em implantes subcutâneos que funcionariam como calculadoras. Quem quisesse fazer uma multiplicação, pressionaria certos pontos na pele e digitaria os algarismos, vendo o resultado imediato numa tênue projeção numérica na retina. Com isso, os humanos desaprenderiam as quatro operações. Mais adiante no futuro, um brilhante sábio escreveria números num papel e descobriria como somá-los. Reinventaria em seguida a subtração, a multiplicação e a divisão, tudo isso sem usar computadores. Seria aclamado como celebridade científica e assim vai a deliciosa novelinha do genial Asimov.

Na mesma voga, há poucas semanas, um cara chamado Chuck Musciano <CJM@akc.org>, pai de dois filhos (5 e 9), comentou que suas crianças se impressionam quando ele lhes conta sobre a vida dos infantes de seu tempo. Os pequenos de hoje já nasceram num mundo em que PCs, VCRs, CDs e DVDs são coisas naturais. Pois numa noite dessas falhou a TV a cabo da família: tela preta e silêncio. Para as crianças simplesmente não havia mais TV e ponto final. Foram achar algo mais para fazer. Mas como o pai queria ver o discurso do Gore, assumindo a derrota na eleição americana, foi até a garagem e pegou uma TV antiga que estava jogada num canto. Como a antena estava capenga, passou a mão num pedaço de cabo coaxial e levou tudo para a sala. O menino de 5 anos viu o Chuck ligar o pedaço de fio à TV sem plugá-lo à parede e fez aquela carinha atônita de quem pensa que o querido pai está ficando louco. Quando o viu ligar o aparelho e surgir a imagem, mesmo que chuvisquenta, o moleque ficou boquiaberto. Foi correndo chamar o irmão mais velho, dizendo que o papai tinha conseguido conectar o cabo NO AR, não entendia como isso era possível. Era um milagre para ele. Chuck já antevê um grandioso mercado potencial para um futuro próximo. Daqui a uns dez anos, conglomerados multinacionais vão apostar quaquilhões de dólares numa nova tecnologia: Wireless-TV. Quem viver verá.


O advento dos e-books vem estourando no mercado. Um amigão chegou me mostrando orgulhoso seu Palm com um livro inteiro carregado. Olhei praquilo e achei uma porcaria, sinceramente. Imagine ler um livro inteiro naquela telinha meleca, que saco. Mas independente de retardados como eu, a novidade está fazendo o maior sucesso. A nota de suprema imbecilidade em tudo isso fica por conta da Adobe, no lançamento de seu Glassbook <www.glassbook.com>, oferecendo alguns títulos grátis e outros pagos. Cada e-livro vem com um conjunto de permissões, dizendo o que pode e o que não pode ser feito com o material, através do botão "Info" do Glassbook. A obra Alice no País das Maravilhas, cujo copyright já expirou há tempos, é oferecida no Glassbook. Mas bem antes já estava disponível em formato digital graças a Michael Hart do Projeto Gutenberg. Visite <www.pigdogs.org/art/adobe.jpg> e pasme, leitora. Além das costumeiras proibições de não copiar, imprimir, emprestar nem dar o e-book para ninguém, a Adobe comete a cretinice de decretar: PROBIDO LER ESTE E-BOOK EM VOZ ALTA!


Muita gente anda apreensiva com a atuação dos hackers e com as seguidas ondas de vírus e quer saber mais sobre a segurança de sua máquina. Só uma coisa assusta mais esse pessoal: poucos são os sites que expliquem estas questões a partir do zero, de maneira simples e acessível ao leigo. Neste particular, posso recomendar o Segurança Máxima <www.seguranca-maxima.com>, elaborado por Luiz A. Lucioni <lucioni@pobox.com> e Antonio Carlos dos Santos <ancarsa@gbl.com.br>. Tem boas dicas, farta coleção de links, uma cartilha e uma ótima explicação do que são os Web Bugs, coisa que eu mesmo nem sabia que existia.


A neura de gravar CDs continua firme e forte mas agora com um refinamento -- a arte de etiquetá-los. Não pode haver para isso ferramenta mais formidável do que o kit CDpply 4.0 da PIMACO <www.pimaco.com.br>. Além das 20 etiquetas, ele vem com um engenhoso aplicador plástico que garante aderência precisa no CD. Traz também um CD-ROM com software especial de impressão a laser ou inkjet, para uso com Word (97 e 2000) e Corel (7.0 a 9.0). O programa é fácil de usar e o manual é mastigadíssimo. Na loja esta belezoca sai por cerca de R$ 50,00.


Informei um link quebrado na semana passada. O Abandonapps saiu do ar e seu responsável, PsOmA, junto comigo, pede mil perdões à leitora. Ele mesmo indicou um substituto à altura -- The Good Old Days <http://gooddays.org/> -- dirigido pelo alemão Mr. Creosote, um dissidente do Ring of Ages. Além do primoroso acervo, atenção especial ao diminuto GIF animado, o mais à esquerda, em que aparece uma minúscula cena típica de filme de Kung Fu.

[ Voltar para o índice de artigos de 2001 ]

[ O Globo | Informática Etc. | coluna mais recente | enviar email
página pessoal C@T
| assinar lista InfoEtc | assinar GoldenList do C@T ]


powered by FreeFind